segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Poeta Conservador

Dentro de mim, convivem pacificamente duas formas de mim.

Detro de mim, existe o poeta que deseja transformar a vida em um turbilhão sem fim de palavras.
Dentro de mim, existe o convervador que considera uma assinatura mais valiosa que mil palavras.

Dentro de mim, o poeta defende a linguagem calada dos corpos como universal, a única que não precisa de tradução.
Dentro de mim, o conservador defende a tradição,a moral e os bons costumes.

Dentro de mim, existe o poeta que transforma carinhos em flores.
                        existe, também, aquele que transforma as frustrações em eternos dissabores.

Dentro de mim, liberdade e cultura
Dentro de mim, status e fortuna.

Romântico por natureza,
interesseiro com destreza.

Sou aquele que ama, chora e deseja.
Sou aquele que mente, engana e trai.

Transformo desejos reais em versos quentes.
Recito mentiras frias em ouvidos quentes.

Te olho com paixão,
engulo toda a decepção.

Te olho com rancor,
transformo palavras em armas.

Dentro de mim, eu existo.

3 comentários:

  1. dentro de vc , e com esse poema mei gay , vc deve ser viado! to gastando... belissimo poema , meu belo rapaz

    ResponderExcluir
  2. A convivêcia é pacífica!
    Conheço um poeta formado em Direito que aos 29 anos, depois de alguns empregos, prestou concurso público e foi reprovado. Continuou poeta, mas não desistiu do concurso e aos 31 anos passou. Até os 55 anos foi funcionário público, mas foi forçosamente aposentado pela ditadura (aposentado, pois nem com AI5 se demite um funcionário público concursado). Fez de seu emprego estável a alavanca e sustento de seu sucesso como poeta e amante insaciável. Ah sim, o nome dele é Vinicius de Moraes...

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir